top of page

MÁSCARA E TEATRO POPULAR DE RUA: O AMARGO SANTO DA PURIFICAÇÃO, DA TRIBO DE ATUADORES ÓI NÓIS AQUI TRAVEIZ

Estudos Multidisciplinares

Márcio Silveira dos Santos

DOI: 10.46898/home.

b7f7f16b-4c57-498b-a5c2-f17d05560032

Resumo

Este texto tem como proposta um estudo acerca da utilização da máscara no teatro popular de rua praticado na capital Porto Alegre. Para tal, busquei refletir sobre as potências de sua aplicabilidade no espetáculo O Amargo Santo da Purificação, do Grupo Tribo de Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz, visando, enquanto recorte de pesquisa, a especificidade da meia-máscara. Tanto o espetáculo como o coletivo são referências no país no que diz respeito a qualidade estética dos espetáculos e na ética para com o trabalho do ator e a sua relação com o espaço público das ruas. Dito isso, tendo por esteio as pesquisas de Ana Carneiro, Sandra Alencar, Sandra Dani, Ingrid Koudela, Béatrice Picon-Vallin, José Ronaldo Faleiro, Valmor Beltrame, Felisberto Sabino, Jacques Lecoq, Narciso Telles, entre outros, procuro traçar direções que joguem luz nas práticas de atuação com as máscaras no teatro popular de rua.

Data de publicação:

16 de abril de 2024 19:17:48

Gostou? Comente!

Partagez vos idéesSoyez le premier à rédiger un commentaire.
bottom of page