EDUCAÇÃO INCLUSIVA: A UTILIZAÇÃO DA SALA DE RECURSOS

Luizelia Melo de Souza

DOI: 10.46898/home.2022.rel-02

Sinopse

A escola historicamente se caracterizou pela visão da educação que delimita a escolarização como privilégio de um grupo, uma exclusão que foi legitimada nas políticas e práticas educacionais reprodutoras da ordem social. A partir do processo de democratização da educação se evidencia o paradoxo inclusão/exclusão, quando os sistemas de ensino universalizam o acesso, mas continuam excluindo indivíduos e grupos considerados fora dos padrões homogeneizadores da escola. O estudo teve por objetivo mostrar como funcionam as salas de recursos no Brasil percebendo estas como sendo um ambiente de aprendizagem escolar que tenha altas expectativas a respeito de seus alunos, que seja seguro e acolhedor e que entenda a diferença como um fator positivo. A pesquisa foi de caráter bibliográfico, lugar em que os temas explorados se concretizaram por meio de consultas em referências
bibliográficas. Como resultados, a análise das informações confirmou a tese de que existem divergências entre os pressupostos das políticas que regem o atendimento educacional especializado e a realidade vivenciada nas escolas.

Data de publicação: 

19 de junho de 2022 15:12:45